Também disponível nas farmácias

Geriatria


O risco da contração de doenças virais, conhecidas igualmente por arboviroses, acresce consequências para os idosos, tanto pela diminuição de algumas funções fisiológicas associadas ao processo de envelhecimento (e.g., cicatrização, reflexo de tosse), como por questões de estilo de vida e ambientais. Mais, o sistema imunitário tende a ficar comprometido, o que eleva a suscetibilidade a infeções.

Entre os infestados adultos com vírus da Dengue, os idosos são mais propensos à necessidade de hospitalização e a adquirir formas graves de infeção - a "febre hemorrágica da dengue" -, registando-se o maior número de óbitos, juntamente com a população infantil.
Recentemente, novos arbovírus, como a Zika e Chikungunya, têm aumentando o impacto negativo no cenário da saúde.
O período de incubação, isto é, o período entre a picada do inseto e o surgimento dos sintomas, dura em média 4 a 7 dias. A febre é um sintoma transversal às três doenças mencionadas.
As complicações hemorrágicas da Dengue podem ser agravadas pelo uso de medicações para pacientes com risco cardiovascular elevado - bastante receitadas na faixa etária geriátrica.
A persistência dos sintomas do vírus Chikungunya (e.g., dor intensa nas articulações) eleva-se na população com idade superior a 65 anos, teorizando-se que tal se deva aos problemas osteomusculares crónicos progressivos frequentes da faixa etária.
Finalmente, a complicação principal derivada do Zika para a população adulta é o Síndrome de Guillaim Barré, que denota fraqueza muscular generalizada e paulatina, que pode progredir com insuficiência respiratória, podendo ser fatal, mas reversível, se a pessoa obtiver apoio clínico.

 

Disponibilizamos algumas recomendações gerais para os idosos:

  • Aplicação de repelentes, tanto no exterior (repelentes cutâneo e para têxteis em combinação), como no interior (repelentes para têxteis);
  • Manter as janelas fechadas ou usar redes mosquiteiras;
  • Uso de roupas que cubram a maioria do corpo (mangas longas e calças compridas);
  • A hidratação é fundamental, bem como uma alimentação equilibrada;
  • Vigilância acrescida em torno de sintomas alarmantes (e.g., redução do volume urinário, confusão mental, dificuldade de respiração, sangramentos, síncope, émese) que não cessem com a toma de medicação recomendada.

 

A aplicação do Spray Anti-Insetos nas roupas e resguardos de cama de pacientes acamados ou fisicamente debilitados constitui uma solução para a prevenção de picadas de insetos numa das camadas mais fragilizadas da população. Pode também ser aplicado em cortinados, sofás e todo o tipo de têxteis existentes em lares de idosos ou casa de repouso para cumprir com a legislação existente para controlo de pragas e insetos.

O Repelente Cutâneo permite uma aplicação tópica eficaz nestes casos, por duração de ação prolongada (até 8 horas contra mosquitos e até 12 horas contra carraças).

É imprescindível certificar-se de que o produto escolhido seja adequado a idosos. Caso tenha dúvidas em relação a que produto recorrer, não hesite em consultar o seu médico.