Também disponível nas farmácias

Infestação de Piolhos


Em utilização concomitante durante o tratamento com outros produtos antiparasitário, o Spray Anti-Insetos para Têxteis é eficaz na prevenção e controlo de infestações de Piolhos.

Deve ser colocado nos têxteis em contacto direto com a cabeça das crianças (e.g., chapéus, almofadas, fitas para o cabelo, cadeiras de transporte, etc.) para controlar a proliferação da infestação.

Caso tenha dúvidas em relação a que produto recorrer, não hesite em consultar o seu médico.

 

Quer saber mais sobre os Piolhos?

O piolho é um pequeno inseto pertencente à ordem Phthiraptera, tratando-se de um parasita que se alimenta do sangue de mamíferos e aves. A sua esperança de vida é de um mês, sendo que, diariamente, a fêmea do piolho produz entre sete a doze ovos (lêndeas), que demoram sete a oito dias a eclodir.

 

A infestação de humanos por piolhos é uma condição vulgar, apelidada pediculose.

Enquanto parasita do ser humano, o piolho pode alojar-se em locais como o couro cabeludo (pediculose capitis), o corpo (pediculose corporis), a região púbica (pediculose pubis) e as pestanas (pediculose ciliaris).

O alojamento no couro cabeludo é a mais habitual, em particular em crianças dos 3 aos 11 anos de todos os estatutos socioeconónimos. A nível nacional, estima-se que uma em cada 3 crianças possuam piolhos num determinado momento.

 A transmissão ocorre maioritariamente através do contacto direto com a cabeça de pessoas afetadas, independentemente se a criança ou adulto pratiquem uma higiene adequada.

A transmissão pode ocorrer igualmente através da partilha de bonés, gorros, pentes e escovas, fitas e ganchos, almofadas e raramente, de roupas, toalhas e secadores.

 

Inicialmente, a pessoa infestada pode não detetar qualquer sintoma. O primeiro sintoma costuma ser o prurido ou comichão, o que corresponde a uma alergia à saliva do piolho, que se faz notar cerca de duas semanas após a infestação.

Raramente a infestação pode associar-se a infeções secundárias e doença generalizada.

O diagnóstico realiza-se através da visualização direta do piolho e/ou lêndea no couro cabeludo e/ou cabelo, sendo também visíveis na nuca e atrás das orelhas. Devido à sua coloração esbranquiçada, a lêndea é mais facilmente detetada.

 

Após a remoção dos piolhos, há que prevenir futuras reinfestações, passando:

  • Pelo evitamento de contacto direto com cabelos infestados;
  • Pelo evitamento da partilha de objetos e acessórios que toquem no cabelo;
  • Pela lavagem de vestuário e roupa de cama, escovas e outros acessórios em água quente.